Arquivo

Archive for the ‘Praxis cristã’ Category

Desconstruindo as estruturas, edificando comunidades

Nos dias atuais, para aqueles olhares mais atentos, cresce a inquietação quanto à prática e razão de ser da Igreja de Cristo. Sim, parece estranho dizer Igreja de Cristo, mas creio ser necessária esta distinção.

Para estas Igrejas, que sentem a necessidade de se tornarem relevantes no mundo, o foco em uma Igreja orientada ao serviço cristão, e não a eventos, tem gerado discussões acaloradas aqui e acolá.

A intenção deste artigo é justamente discutir a diferença de uma igreja orientada ao serviço cristão, abudante em toda a Bíblia, e orientada a eventos.

Em uma igreja orientada a eventos, a estrutura é parte primordial. Sem uma estrutura adequada esta igreja não tem como suprir seu calendário de atividades. Alguns itens, tais como: iluminação, salas, projetores, som e mão de obra são imprescindíveis. Aqui começa o problema deste modelo de igreja, pois, em nome de “fazer a obra de Jesus“, muitos irmãos acabam se estressando com outros por causa destes itens citados acima. Creio, que você que lê este artigo, ainda tem fresca, em sua memória, a última briga que teve com o “irmão do som”. Nem entraremos em profundidade nas brigas geradas por conta do atropelo nos ensaios.

Esta é a igreja orientada a eventos. A infra-estrutura, que tem por função nos servir, acaba nos escravizando, e a briga sobra para o “departamento do patrimônio”. Mais brigas à frente!

Mas, diriam alguns, a estrutura é importante! Afinal como faríamos nossos congressos, cantatas, peças teatrais, programas especiais…?

E de repente, lendo despretenciosamente nossa regra de fé e prática, não conseguimos achar nem um único exemplo de igreja fazendo qualquer um dos exemplos acima.

Quando foi a última vez que houve em sua igreja um evento de entrega de roupas aos desabrigados, e um evento de entrega de alimento aos famintos? Toda a igreja se envolve nestes eventos com a mesma energia com que se envolve em uma cantata? O número de participantes é equivalente? Todos se sentem motivados a participar destes eventos com a mesma entrega de tempo com que organizam um congresso?

Para estes tipos de eventos (ou serviço cristão ?) não é necessária uma mega estrutura de som, palco, iluminação, projeção, divulgação, mas apenas a boa vontade e o amor ao próximo.

Os eventos em nossas igrejas hoje apenas nos cansam, tiram nosso foco daquilo que é o essencial, daquilo que é a razão de ser de uma Igreja: servir ao próximo. Não creio que servir ao próximo seja organizar um bom congresso, ou fazer a melhor cantata. Se for apenas isso qual a diferença entre Igreja e teatro? Ah sim, na igreja se fala de Cristo, claro! Se fala, mas será que se vive Cristo?

Será que nosso mestre estaria preocupado em organizar eventos?

Sempre que a oferta e dízimo de uma igreja é usada em prol da estrutura estamos inconscientemente dizendo que o templo, o som, os equipamentos são mais importantes do que as pessoas. Quanto das ofertas de sua igreja é usada para suprir a infra-estrutura? Quanto dela é destinada aos pobres e necessitados? Percebem agora o quão longe estamos do modelo que Jesus propôs de comunidade?

Vejamos alguns versículos que nos desafiam a uma mudança de paradigmas urgente no modo como vivemos igreja.

Tiago 1:27 A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo.

Aqui, além do testemunho pessoal, o serviço é parte integrante da vida cristã.

Mateus 25:34-40 … então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo. Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me hospedastes; estava nu, e me vestistes; enfermo, e me visitastes; preso, e fostes ver-me. Então, perguntarão os justos: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Ou com sede e te demos de beber? E quando te vimos forasteiro e te hospedamos? Ou nu e te vestimos? E quando te vimos enfermo ou preso e te fomos visitar? O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.

Segundo o texto acima, o que Jesus vai cobrar de nós? Não vejo menções a eventos, mas sim a serviços.

Logo concluímos que Jesus queria formar uma comunidade, onde todos fossem iguais, sem necessitados, e não uma empresa produtora de eventos, na qual nossas igrejas se tornaram.

Está mais do que evidente que uma igreja orientada ao serviço cristão é o modelo bíblico que nos foi proposto. Porém, conseguimos transformar a vida cristã em um modelo de atingimento de metas (bem ao estilo americano).

Desconstruindo estas estruturas, que só nos atrapalham, e vivendo o cristianismo de serviço, vamos criar um ambiente de comunidade, onde todos se ajudam e, desta forma, acabaremos com a Instituição Igreja, que nunca foi o plano de Cristo para nós.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: