Archive

Archive for the ‘Gênesis – A Criação’ Category

Gênesis – A Criação

Em um mundo pós moderno, como devemos ler o relato que nos é apresentado nos dois primeiros capítulos de Gênesis?

Crer que tudo aquilo que está descrito é apenas um mito? Crer que todas as informações contidas ali são alegóricas?

Os primeiros capítulos de Gênesis, após o século XVII, já foram, e continuam sendo questionados por teólogos e ateus.

Creio que devamos entender o propósito e o ambiente cultural onde foram escritas estas narrativas.

Os dois primeiros capítulos de Gênesis tem um caráter confessional. Eles nos mostram que Deus é o soberano do Universo (Gn. 1:1) .

Não devemos esquecer que, naquele tempo, naquela região, havia muitas narrativas sobre a criação do mundo. Uma dessas narrativas é a chamada ENUMA ELISH, uma narrativa assíria, que quer dizer “Quando nas alturas”. Em linhas gerais, nos diz que o universo foi formado depois da batalha entre os deuses, no céu, e os restos mortais desta batalha serviram de material para a criação do universo.

Não nos restam dúvidas de que o relato da criação, na Bíblia, tem um caráter apologético, que nos mostra Deus como absoluto soberano de todas as coisas; que não precisou brigar, ou mesmo disputar com ninguém a criação de todas as coisas.

Há um próposito teológico nestes primeiros capítulos, pois cada povo tinha sua própria narrativa da criação do universo.

Em contraposição com as outras narrativas da criação, em Gênesis Deus cria todas as coisas a partir…do nada! Deus não precisou pegar um material pré formado, algum tipo de matéria prima para a criação do mundo. Ele simplesmente usou sua Palavra (aqui grafada propositalmente em maiúsculo – leia João 1:1 para saber mais).

Em Gênesis 1:1 há o uso de um verbo, em hebraico, que pode ser usado em uma única situação: barah. Este verbo é usado apenas quando algo surge “do nada”, ex-nihilo na expressão hebraica.

Vamos observar a estrutura da criação:

Dia 1 – Luz Dia 4 – Sol, Lua e Estrelas
Dia 2 – Firmamento – algo que separa e sustenta água das águas Dia 5 – Animais aquáticos e aves
Dia 3 – Separação da terrra das águas Dia 6 – Animais domésticos e selvagens e o Homem

Note a correspondência entre os 3 primeiros dias da criação e os 3 últimos. Note como Deus preparou de antemão a estrutura para cada uma das criações que viriam em seguida.

Observe que há uma progressão na criação do mundo por Deus.

Deus poderia ter criado tudo de uma única vez, não? E a ciência confirma que houve uma progressão, um desenvolvimento do mundo. Portanto, mesmo a Bíblia não tendo um caráter científico, ela não contradiz a ciência.

Outra coisa que observamos no quadro é que Deus deixou o ser humano por último. Ou seja, Deus havia preparado todas as coisas, todo ambiente, antes de criar o homem.

Assim como os pais preparam o quarto para a chegada de seu filho(a), Deus preparou o mundo para a habitação do homem. Deus não precisava de nada que fora criado, pois Ele existe nele mesmo. Logo, podemos afirmar que o foco até aqui é a criação do ser humano.

Podemos observar no quadro acima, algo que não fica claro quando lemos a Bíblia em um idioma diferente do original: a estrutura da narrativa hebraica.

Já foi dito, no POST anterior sobre o Pentateuco, que a poesia hebraica não se caracteriza pela rima, como estamos acostumados; mas se caracteriza pela forma de escrita. Observe a correspondência entre os versos 1 e 4, versos 2 e 5 e versos 3 e 6.

Outro detalhe que devemos estar atentos é na diferença de linguagem entre o capítulo 1 e o capítulo 2 de Gênesis.

Os verbos que aparecem no capítulo 1 expressam a transcendência de Deus, ou seja, Deus é o soberano que governa e domina todas as coisas, e que tem o poder (d)na palavra:

– Criar
– Fazer
– Haver
– Produzir

Agora vamos reparar nos verbos que aparecem no capítulo 2:

– Formar
– Soprar
– Plantar
– Tornar

Estes verbos expressam a imanência de Deus, ou seja, Deus apesar de Todo-Poderoso, é Deus que interage com sua criação, que toca em sua criação. Neste capítulo 2, lemos sobre o envolvimento de Deus com sua criação.

No capítulo 2 de Gênesis, temos 3 relacionamentos principais:

1- Homem e Deus – responsável pela vida e corpo do ser humano. Produto da atividade criadora de Deus.

2- Homem e terra  – Adam (Homem) e Adamah (terra)

3- Homem e mulher

O capítulo 2 de Gênesis complementa o capítulo 1.  O estilo da narrativa é diferente, e estas duas narrativas trabalham juntas para gerar o “retrato” de Deus soberano, e pessoalmente envolvido em sua criação.

%d blogueiros gostam disto: