Arquivo

Archive for the ‘As divergências sacramentais’ Category

As divergências sacramentais

As divergências sacramentais

Para Lutero o valor não estava no sacramento em si, mas sim na fé da pessoa que o recebia. Desta maneira Lutero desmistificou os sacramentos colocando-os apenas como uma prática eclesiástica destituidos de quaisquer elementos mágicos.

Lutero rejeitou a existência de sete sacramentos e afirmou existirem somente três: o batismo, penitência e o pão. Ele afirmou que a Roma havia tirado a liberdade da Igreja de Cristo quando aprisionou estes elementos.

A ceia do Senhor, para Lutero, representada pelo pão e pelo vinho, ao mesmo tempo que eram pão e vinho eram também a verdadeira carne e o verdadeiro sangue de Cristo respectivamente. Lutero negou a doutrina da transubstanciação, mas não negou que o corpo de Cristo pudesse realmente estar no pão. Para ilustrar este conceito ele usou o exemplo de um ferro em brasa. Contanto que o ferro esteja incandescente ele não deixa de ser ferro, mas também não se dissocia do fogo, e passam a ser uma única matéria.

Segundo Lutero o batismo era demonstração de arrependimento. Ele era a favor do batismo infantil, que, segundo ele mesmo, havia sido desvirtuado por Satã do mesmo modo que o batismo adulto. Então, uma vez desvituado o sentido de arrependimento que o batismo demonstrava, houve a necessidade de muitos fardos, votos, obras, indulgências e tradições humanas para suprir o verdadeiro sacramento autorizado pelo Senhor Jesus.

Por fim, Lutero entendia a confissão privada como um sacramento útil, recomendável e necessário, porém, mais tarde, acabou excluindo-a desta categoria.

Neste processo de reforma, outros protestantes discordaram de Lutero. Por exemplo, Zwinglio, na Suíça, opôs-se à maneira com que Lutero entendia a ceia. Para Zwinglio a Ceia era apenas um memorial, e não havia nada da presença física de Cristo em seus elementos. Com relação ao batismo houve grande discórdia com os anabatistas, que acusaram Lutero de inconsistência teológica, pois, se o batismo dependia da fé, como uma criança teria fé para ser batizada?

Os assuntos relacionados aos sacramentos manteve os protestantes separados como nenhum outro assunto o fez, pois cada um tinha sua própria concepção, mas ninguém estava disposto a abrir mão em favor do outro.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: